Indicações de cirurgia de epilepsia

Indicações de cirurgia de epilepsia

Existe um grupo de pacientes com epilepsia que vão continuar a apresentar crises apesar do tratamento medicamentoso apropriado. Nesse caso faz-se necessário buscar outras modalidades de tratamento para ajudar no controle de crises.

Uma dessas modalidades é a cirurgia de epilepsia que se caracteriza pela retirada cirúrgica no cérebro, do local que dá origem ao início das crises. Para que isso seja possível essa região deve ser única, não estar próxima a região do cérebro responsável por funções importantes além de ser comprovadamente a responsável pela crise.

Nesse processo o paciente passa por uma série de exames e avaliações que incluem videoeletrencefalograma, ressonância de crânio, avaliação neuropsicológica entre outras.

Uma das cirurgias com maior índice de sucesso está relacionada com uma síndrome epiléptica denominada esclerose mesial temporal com atrofia hipocampal chegando a ter uma resposta em torno de 80%. Porém existem diversos outros tipos de cirurgia como a calosotomia e hemisferectomia, variando de taxa de resposta.

Importante ressaltar que o tratamento cirúrgico não tem como objetivo a retirada da medicação, e sim ajudar no controle de crises, e que mesmo após a realização de cirurgia a redução da medicação deve ser avaliada cautelosamente.