Crise tônico-clônica

Crise tônico-clônica

  • Esse tipo de crise (também chamada de convulsão) é o que a maioria das pessoas identifica como crise epiléptica. Como o próprio nome diz, tem características das crises tônicas e clônicas.
  • A fase tônica ocorre primeiro:
    • Todos os músculos se enrijecem.
    • O ar passa de forma forçada pelas cordas vocais e pode causar um som semelhante a um grunido.
    • A pessoa perde a consciência e cai no chão.
    • Pode morder a língua ou a parte interna das bochechas. Se isso acontecer, pode sangrar um pouco.
  • Após a fase tônica, ocorre a fase clônica:
    • Os braços e pernas se debatem rapidamente e de forma rítmica, com duração de alguns segundos.
  • Durante a crise, a respiração fica prejudicada principalmente devido ao relaxamento inadequado dos músculos torácicos responsáveis pela inspiração e expiração. Isso pode gerar cianose (coloração arroxeada na face e nos lábios), principalmente em crises mais prolongadas.
  • O paciente pode perder o controle esfincteriano, podendo haver liberação de urina e/ou fezes durante a crise.
  • As crises geralmente duram 1 a 3 minutos. O paciente pode ficar confuso, irritado, depressivo ou sonolento logo após a crise. A consciência vai retornando aos poucos.
  • É necessário levar o paciente à emergência em caso de crises prolongadas (mais de 5 minutos) ou se ocorrerem 3 crises seguidas sem que haja recuperação da consciência entre elas.