Anticonvulsivantes

Anticonvulsivantes

O tratamento de escolha para o controle de crises epilépticas é o farmacológico. Entretanto, vale ressaltar, que nenhum dos medicamentos
disponíveis irão atuar na causa da epilepsia e, consequentemente, não irão curar a epilepsia, mas apenas controlar as crises.

Existem inúmeros fármacos antiepilépticos que atuam em diferentes regiões da comunicação entre as células do cérebro regulando a excitação
e/ou inibição dos estímulos neuronais.

O principal passo na escolha do fármaco mais adequado é identificar corretamente o tipo de crise do paciente. Como existem diferentes formas de geração e propagação das crises alguns medicamentos podem ser mais específicos para determinados tipos enquanto não indicados para outros.

Outro fator importante na escolha da medicação são comorbidades (outras doenças associadas) como depressão, dor de cabeça além de idade do
paciente, possibilidade de gravidez, tolerabilidade individual, facilidade de uso e
custo do tratamento.